Playgirls

Claire Rambeau, a bela Miss Outubro de 1971

Todos os meses, vamos ao baú buscar as mulheres mais belas que já passaram pelas páginas da PLAYBOY. Uma bela viagem no tempo.

Durante mais de um ano, após uma passagem breve pela Universidade do Arizona, em 1969, Claire Rambeau dedicou-se a uma carreira como modelo em Los Angeles. Nesse período, deixava frequentemente a cidade por uns dias e viajava até casa do pai em Sedona, no norte do Arizona, onde passava horas a explorar — a pé ou a cavalo — a vasta e escarpada paisagem do Red Rock em busca de um retiro.

Apesar de ter tido algum sucesso profissional, a jovem de 20 anos começou a ficar desencantada com o ambiente de trabalho. “Tornei-me cada vez mais dependente das minhas visitas ao Arizona, de forma a limpar a cabeça e enfrentar a semana de trabalho”. Finalmente, na última primavera, deixou Los Angeles de vez. “Estava farta. A maioria das pessoas que conhecia da área só sabiam falar dos negócios multimilionários que estavam a finalizar. Quando as encontrava, um mês depois, continuavam a falar sobre o mesmo assunto — e nada tinha mudado.”

Claire decidiu então usar o dinheiro das poupanças para viajar e voou até uma das cidades que mais desejava visitar: Londres. “A minha antiga colega de quarto em Los Angeles era hospedeira e viajava por todo o mundo. Estava sempre a falar de Londres e decidi que tinha mesmo de ir lá”. Não ficou desapontada.”Apaixonei-me. Há uma espécie de ambiente muito formal na cidade. Não estou a dizer que seja aborrecida — quero dizer que têm uma consciência da sua própria tradição que achei encantadora.” Mas Claire gostou igualmente do ar livre das zonas rurais de Londres. Sozinha, passou longas e introspetivas tardes a ponderar sobre o seu futuro. Rapidamente tudo começou a encaixar-se. “Decidi que queria viver em Londres e como sempre tive um enorme interesse pela moda, visitei algumas escolas e perguntei sobre os cursos de moda e design. Ainda não escolhi uma, mas vou inscrever-me de certeza.”

Tomada a decisão, Claire resumiu a sua carreira. “Não recordo com arrependimento o ano que passei a trabalhar como modelo”, explica. “Feitas as contas, ajudou-me a expandir o meu conhecimento sobre a área.”

No início do verão, deixou Londres e voltou para o Arizona, de forma a preparar a mudança definitiva no outono. “Já ando a ler livros de design e revistas de moda”. Seja qual for a escola que Claire escolha, faz sentido que Londres — que perdeu a sua famosa ponte para o Arizona [em 1968, a cidade vendeu a decrépita London Bridge a um empresário norte-americano, que a reconstruiu, pedra por pedra, na cidade de Lake Havasu] — receba outra atração maravilhosa em troca.

Artigo publicado na edição de outubro de 2019 da PLAYBOY PORTUGAL. Pode comprar a edição impressa na loja online.