Playgirls

Andressa Pedry, a brasileira mais portuguesa deste verão

Ao fim de dez anos em Portugal, aquela que muitos consideram a brasileira mais portuguesa que conhecem mostra toda a sua sensualidade, num ensaio tão quente como este Verão.

Quando é que descobriu que a televisão era o que gostava de fazer?
Este interesse vem desde muito pequenina. Comecei a fazer publicidades com apenas 6 anos e nunca mais parei. Também creio que tive a influência da minha mãe. Ela foi Miss muitas vezes e estava sempre a acompanhá-la em bastidores. Fui crescendo e abraçando os projetos que foram surgindo e não foram poucos. No Brasil desempenhei pequenos papéis especiais como atriz na Tv Globo (a novela Malhação e a minissérie JK ) e apresentadora para na própria estação. Fiz também trabalhos como modelo para campanhas publicitárias no Brasil e internacionais, com passagem por Itália nos anos de 2004 e 2005. Veio então o convite para vir a Portugal integrar a equipe da Rede Record Europa, para desenvolver trabalhos entre a rádio e a televisão. Na televisão, apresentei os passatempos Quem quer Dinheiro? e GRP durante três anos de segunda à domingo, totalizando cerca de 3500 programas em direto. Depois vieram programas de fundo solidário, generalista e aventura, como Ressoar Portugal, Programa da Tarde e Giro.

E agora?
Atualmente podem escutar-me na Record Fm, de segunda à sexta, através da frequência 107.7 Fm. Os trabalhos não ficaram apenas pela empresa brasileira, mas também por portuguesas como a CMTV, onde apresentei os programas Liga Futre, sobre o rescaldo dos jogos de futebol e Hora de Estimação, voltado para nossos animais de estimação. E A Bola TV que fez e faz parte da minha experiência profissional com o programa LIGA 4X3X3, um quiz sobre o futebol mundial que testa os conhecimentos dos nossos telespectadores, estando a caminho da terceira temporada. Vale lembrar que mesmo com todos estes desafios, a Medicina Veterinária andou sempre em paralelo. Iniciei o curso no Brasil e finalizei em Portugal. Quase deram dois cursos [risos], entre equivalências dadas e não dadas meu período de licenciatura durou aproximadamente 9 anos. Esta é a minha outra paixão. Já vem de família porque temos criação de animais no Brasil. Cresci com a imagem do médico a cuidar dos animais e despertava-me muita curiosidade. Neste momento estou a finalizar um Mestrado Integrado ao meu curso, onde pretendo num curto/médio espaço de tempo, exercer como tal.

E como foi a estreia?
Minha estreia foi marcada por muita adrenalina, lembro-me de todas as sensações como se fosse hoje. Gosto de grandes desafios e também assumir responsabilidades como apresentar programas em direto para mais de 150 países, sabendo que naquele instante milhões de pessoas estão a assistir. Uma curiosidade é que, nos grandes desafios, gosto de ter sempre as pessoas que mais amo por perto.

Dez anos é bastante tempo mas, ainda se sentes a “brasuca” em Portugal?
Vivo dez anos em Portugal e para Portugal. Sinto-me muito feliz por ter sido abraçada por esta nação. Acho que a partir do momento que escolhemos outro país para viver, adaptar-se aos costumes é o grande segredo para vivermos bem e felizes. Muitos dizem que sou a brasileira mais portuguesa que já conheceram. O mais importante de tudo é nunca perdermos a nossa essência.

Como é que ficou a relação com o Brasil? Se puder, volta?
Minha relação com o Brasil está da mesma forma desde a data que de lá saí. É de amor eterno e gratidão. Já tive e ainda tenho propostas profissionais para regressar, mas a tranquilidade e a segurança que tenho em Portugal, valem mais do que qualquer bom caché que possa vir de lá. Quanto a minha família no geral, estão todos bem e felizes, sempre que posso dou lá um saltinho. Agora quanto aos meus pais, daí a saudade aperta muito. Sou filha única e sei que eles sentem muito a minha falta. O que ameniza é que estão por cá pelo menos duas vezes ao ano.

O que é preciso fazer para se irritar?
Considero-me demasiado paciente. Mostro sempre o que não está bem de um forma leve e tranquila dando a chance das pessoas não voltarem a fazer-me o mesmo, mas diga–se de passagem, eu devia sempre desabafar. Vou guardando para não criar problemas e quando a tampa salta, já não se tem mais nada a fazer, vem tudo à tona e torna-se a hora de colocar todos os pontos nos “is”.

E para ser feliz?
A maturidade ajuda-me a responder. Se me fizessem esta pergunta não há muito tempo atrás, poderia estar aqui listando mil coisas, mas hoje percebo que ter paz espiritual é o segredo para tudo dar certo em nossas vidas. Se as pessoas soubessem o quanto a mente nos conduz, estariam mais atentas a determinadas situações e não iriam tão abaixo. Minha dica é, que por maior que seja o problema, o ser humano encontra forças de onde nunca imaginou e sobrevive. Não se entregue a nada, nunca! Nada nesta vida é mais importante do que o seu amor próprio. Valorize-se e assim, seja feliz.

Carregue na galeria para ver mais imagens.

Produção: Gonçalo Jorge
Maquilhagem: Sara Castro
Cabelos: Joka Kasquinha
Styling: Sandrina Francisco com Vera Manzoni, by Marez e Jackuie Swimwear
Agradecimentos Kool Dream – Cabeleireiros & Estética e Ilha do Arroz – Beach Lounge & Restaurant