Man cave

Descoberto esquema que pirateou os iPhone durante mais de dois anos

Investigadores da Google revelaram que até telefones atualizados foram atacados.

Foi descoberto um esquema que durante dois anos e meio pirateou “milhares de utilizadores por semana”. Em causa estavam smartphones iPhone, como agora revelam os investigadores da Google que o pararam em janeiro.

Através de uma pequena lista de sites, os hackers instalavam malware nos dispositivos sem ser necessário que os utilizadores fizessem mais do que apenas visitar uma das páginas. Não era necessário interagir mais do que isso e alguns dos utilizadores foram afetados mesmo tendo o aparelho atualizado.

A partir do momento em que os atacantes tinham acesso ao iPhone, conseguiam aceder a dados como a localização a cada instante, as passwords, o registo de aplicações de mensagens como WhatsApp, iMessage ou Telegram, agenda de endereços e até dados do Gmail. A única possibilidade de tirar o acesso aos hackers era reiniciando o iPhone. Ainda assim, se visitasse novamente uma das páginas, voltaria a ser infetado.

“Devido à variedade de informação roubada, os hackers poderão, no entanto, continuar a ter acesso a diversas contas e serviços usando os tokens de autenticação previamente roubados, mesmo depois de perderem o acesso ao dispositivo”, explicou ao “The Guardian” Ian Beer, investigador da Google.

O que os utilizadores podem fazer é ter mais cuidado com as páginas que visitam e com a segurança dos smartphones, uma vez que hoje em dia temos a nossa vida toda naqueles pequenos e vulneráveis aparelhos.

Os investigadores da Google terão comunicado a falha à Apple a 1 de fevereiro, que lançou uma atualização a 7 de fevereiro já com os erros corrigidos.