Desporto

10 estádios infernais onde ninguém quer jogar

Eles são loucos e pouco simpáticos com os rivais. Entre murros, tochas e cânticos racistas, o melhor é mesmo fugir destes relvados.

As bancadas tremem, os decibéis são ensurdecedores e os visitantes são recebidos ao murro e pontapé. Não é fácil viajar até um destes estádios. Jogadores e adeptos têm que enfrentar climas hostis e, muitas vezes, as claques levam o terror consigo para as deslocações ao estrangeiro.

Em Millwall, por exemplo, só se aceitam novos membros no grupo de apoio se mostrarem que são capazes de agredir os rivais. Na Argentina, não há festa que não termina em pilhagens e, no leste da Europa, a extrema-direita ainda está bem viva nas bancadas.

Veja a fotogaleria para conhecer os 10 infernos que jogadores e adeptos preferem evitar.