Comer e beber

Já cozinhou com Gordon Ramsey e para Obama. O chef Michelin que anda a alimentar milhões de pessoas

Vikas Khanna é um chef com uma missão. Uma que milhões de pessoas agradecem.

Não são apenas as vidas que já roubou. O Covid-19 está a ter um impacto violento nas economias a nível mundial. Mas entre as dificuldades há também histórias de esperança.

Vikas Khanna pode não ser um nome muito conhecido neste lado do globo mas no seu, país, a Índia, este chef com estrela Michelin é nome a ter em conta na gastronomia, contando até com o seu próprio programa televisivo.

Ao longo da carreira, o reconhecimento deste chef chegou por diversas vias, entre elas a curiosidde de já ter cozinhado com o irascível mas talentoso e hilariante chef britânico Gordon Ramsey mas também o privilégio de já ter cozinhado para Barack Obama. Falamos de Vikas Khanna, um chef indiano que, adianta o “New York Times”, assumiu uma difícil missão por estes dias: alimentar milhões de compatriotas em dificuldades.

“Falhámos perante o povo”, afirmou Vikas Khanna numa entrevista há dias, ele que muito antes de ter tido mais de 20 livros de culinária publicados e de servir refeições que custam milhares de euros soube bem o que eram dificuldades. Há 20 anos, o chef que tem atualmente 48 anos foi para Nova Iorque à procura de uma carreira na gastronomia. Até conseguir, lavou pratos e fez entregas para conseguir pagar as contas.

Ao jornal nova-iorquino, Vikas Khanna explicou que foi ao pensar na sua mãe, a viver sozinha, que teve a ideia de ajudar. “E se não está lá ninguém para a ajudar?”. Com isto em mente, lançou-se nesta missão pessoal e há dois meses que alimenta pessoas num país cuja economia tem sofrido também com o confinamento a que o coronavírus obrigou.

Com a ajuda de organizações locais, este chef conseguiu organizar uma estrutura que tem permitido acudir diariamente a pessoas em dificuldade, uma tarefa nada fácil dado que teve de montar tudo à distância, a partir de Nova Iorque, onde tem casa. Além de entregarem refeições em localidades, têm conseguido acudir centenas de milhares de pessoas que , vendo-se sem trabalho, voltaram a casa. Para estes, que seguem a pé durante centenas e até milhares de quilómetros, foram montadas “sopa dos pobres” em áreas de serviço ao longo das estradas.

Leia também: Chef Sá Pessoa: “A estrela Michelin pode ser um presente envenenado”