Atualidade

Hong Kong já tem vacina para o coronavírus pronta a ser testada

O novo fármaco pode proteger as pessoas da epidemia e de gripes comuns. Pode ser testado em 40 dias.

Já morreram mais de 130 pessoas e há mais de seis mil casos de infetados com o temível coronavírus. Agora, uma equipa de investigação de Hong Kong, liderada pelo microbiólogo Yuen Kwok-yung, conseguiu desenvolver uma vacina contra o coronavírus de Wuhan, na China. O novo fármaco ainda vai ser testado em animais antes de ser aplicado em humanos, de acordo com o “South China Morning Post”.

Kwok-yung diz que a sua equipa isolou o vírus do primeiro caso na cidade. “Já produzimos a vacina, mas ainda levará algum tempo para que seja testada e, animais”, disse Yuen, sem dar um prazo específico. Contudo, revelou que ainda levará meses para que seja testada em animais e, pelo menos, um ano para que seja conduzido um ensaio clínico.

O grupo de cientistas tomou como base a vacina já existente contra o influenza em spray nasal, previamente criada pela equipe de Yuen, que foi modificada com parte do antigénio do coronavírus. Por isso, o novo medicamento poderá proteger as pessoas do coronavírus, mas também de gripes comuns.

No fundo, é uma modificação da vacina da gripe que conta com uma versão inativa do novo vírus e que tem a sua propriedade contagiosa destruída em laboratório.

Os governos e as empresas privadas têm tomado várias para conter a epidemia. Há dez cidades chinesas isoladas e as lojas da Starbucks fecharam metade duas duas mil lojas no país. A Casa Branca também anunciou que poderá suspender todos os voos dos EUA para a China.