Man cave

Samsung recolhe Galaxy Fold e adia lançamento do smartphone

Vários jornalistas especializados reportaram problemas no Twitter, num fenómeno que ficou conhecido como #foldgate.

Ecrãs partidos, disformes, a piscar ou sem imagem são alguns dos defeitos apontados por vários jornalistas especializados, ao fim de apenas um dia de utilização do Galaxy Fold – o novo modelo dobrável da Samsung. A tecnológica sul-coreana vai recolher todos os telemóveis de teste que distribuiu, adiou os eventos planeados em Hong Kong e Xangai e cancelou o lançamento que estava previsto para sexta-feira, 26 de abril, nos EUA.

Virado para um público que gosta de smartphones ultra premium – cujos valores rondam os dois mil euros –, a expetativa em torno do produto era grande. Os tais jornalistas deram exemplos dos diferentes defeitos do telemóvel no Twitter e o fenómeno, que se tornou viral, foi mesmo apelidado de #foldgate.

As imagens publicadas pela imprensa internacional mostraram que um dos lados do ecrã deixa de mostrar imagem ou fica a piscar indefinidamente. As primeiras conclusões apontam para o facto de os problemas estarem associados ao impacto em zonas da dobradiça do ecrã.

O smartphone com o ecrã flexível foi divulgado em São Francisco, nos EUA, em fevereiro. A empresa manteve um enorme secretismo em redor do equipamento até ao último minuto. Nem mesmo na sala de exposição do evento Unpacked, os jornalistas puderam experimentar o aparelho.

A Samsung afirmou que o adiamento terá um período de tempo “indeterminado”, citada pelo “Jornal de Negócios“, e indicou que está a investigar os relatos de defeitos do Galaxy Fold. Nas próximas semanas, a gigante coreana irá revelar a nova data de lançamento nos EUA. Na Europa, o início das vendas está marcado para maio.