Desporto

Projeto solidário transforma camisolas dos craques da bola em batas para crianças hospitalizadas

Revista "Panenka" desenvolveu a ideia e está à procura de centros que queiram acolhê-la.

Pelo amor ao nosso clube somos capazes de tudo e é esse amor que nos leva a cometer grandes loucuras mas também alcançar grandes feitos. Foi com essa ideia em mente que a revista “Panenka” lançou um projeto chamado Las Batas Más Fuertes e que pretende transformar camisolas de futebol em batas de hospital para crianças que estão internadas.

A iniciativa original partiu de três criativos, Diego Lauton, Irene Labat e Fede Botella, fundadores da associação We are Xuxa, e convenceu de imediato os responsáveis da revista. “Sempre convencidos de que, o futebol, além de ser um entretenimento de 90 minutos, pode ser uma ferramenta imparável para ajudar a construir uma sociedade um pouco melhor e para impulsionar ações de caráter social e solidário”, defende a “Panenka”.

O plano foi desenvolvido e as primeiras camisolas transformadas. Nomes como Messi, Griezmann ou Sergio Ramos já circulam pelos corredores do Hospital de San Rafael, em Madrid, a animar as crianças que passam por momentos difíceis. A partir daí foi feito um vídeo que explica a ideia e que, lançado a 14 de maio, conquistou as redes sociais.

“Os meninos e meninas hospitalizados jogam uma partida muito difícil todos os dias, mas se vestem a camisola da sua equipa, em vez da aborrecida bata verde, o seu estado de ânimo pode melhorar, fazendo com que se sintam mais fortes”, explica a revista. Esta é uma ideia defendida também por uma profissional de saúde durante o vídeo: “O estado de ânimo influencia muito na evolução de uma criança, para que fique mais ou menos dias. Uma coisa que lhe dê tanta alegria, pode reduzir o stress, ao mesmo tempo que reduz a sua estadia hospitalar, porque melhora o seu estado de ânimo e consequentemente as defesas e recupera mais rápido”.

Apesar de já ter recebido vários donativos e apoios de todo o mundo (incluindo coleções de camisolas), a revista explica que nesta primeira fase ainda não pode aceitar nada disso porque o principal é primeiro encontrar destinatários para as camisolas. Assim, até junho o objetivo é conseguir reunir o maior número possível de hospitais e centros de saúde que queiram juntar-se a esta iniciativa e só depois passar à fase seguinte.

As instituições interessadas devem enviar um email para lasbatasmasfuertes@nullpanenka.org ou consultar o site criado para esta ação.