Bem-estar

A Roda dos Alimentos vai mudar (e o vinho deve ser retirado)

Guia deverá ser alterado até ao fim de 2020.

Foi apresentado esta segunda-feira, 15 de julho, o relatório de 2019 do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS), cujas principais preocupações são a desatualização da Roda dos Alimentos e a falta de conhecimento sobre leitura de rótulos. Há várias alterações à vista, entre as quais a retirada do vinho do guia alimentar nacional.

Provavelmente não sabia que o vinho faz parte da Roda dos Alimentos, mas é verdade. A última revisão do guia informativo foi feita em 2003, mas houve uma pequena atualização, ocorrida em 2017, que criou a Roda dos Alimentos Mediterrânica e que colocou em evidência os produtos nacionais, característicos da nossa cultura. Um deles é o vinho, cujo consumo é — pelo menos até agora — recomendado, desde que seja feito com moderação.

Tudo indica que este é um ponto que virá a sofrer alterações, uma vez que os responsáveis pelo relatório de 2019 do PNPAS sugerem que a tabela deve ser alterada até ao final de 2020. Outro dos aspetos focados pelo documento é a rotulagem e a falta de instrução para a sua leitura. De acordo com o “Expresso”, já têm sido desenvolvidos estudos para ajudar os“técnicos na elaboração de um modelo uniforme para a rotulagem dos alimentos fácil de interpretar”.

Além de esta ser também uma recomendação da Organização Mundial da Saúde, é uma questão preocupante já que, “atualmente, sabe-se que 40% da população portuguesa não consegue compreender a informação nutricional presente nos rótulos dos alimentos”.

Na promoção da alimentação saudável, são de destacar as medidas já tomadas como a revisão do imposto sobre as bebidas açucaradas ou o acordo para a redução do sal, dos açúcares e gorduras na indústria alimentar.

O mesmo documento destaca ainda os hábitos alimentares pouco saudáveis como uma das principais causas para a diminuição de anos de vida saudável e para a elevada e crescente taxa de obesidade infantil.