Atualidade

O que é um quilograma? A resposta acaba de mudar

O novo padrão do quilo entrou em vigor esta segunda-feira, 20 de maio. Na prática, pouco muda, mas a explicação é fascinante.

Pode dizer-se que um quilo já não é o que era. Confuso? É simples: desde 1889 que o valor do quilograma era medido com base num cilindro de uma liga metálica de platina e irídio que tem 39 milímetros de altura e diâmetro, escondido algures nos subterrâneos de Sèvres, França. A sua massa servia como Protótipo Internacional do Quilograma. A partir de agora, tudo muda – e o peso é finalmente reformado.

Os representantes de 60 países no Comité Internacional de Pesos e Medidas mudaram oficialmente a definição de quilo que agora passa a ser calculado segundo a constante física de Planck.

Existem outras réplicas do cilindro de Sèvres – que é do tamanho de uma bola de golfe e retirado do cofre a cada 40 anos –, mas foi determinado já não servia como melhor opção para definir a unidade de peso. Ao longo dos anos, o objeto metálico sofreu alterações ligeiras na sua massa devido à contaminação, limpeza ou desgaste.

O que é um quilograma? A resposta acaba de mudar
O famoso cilindro já se pode reformar

O aumento de massa em alguns microgramas ditou a reforma. E esta mudança implica que as restantes réplicas sejam agora todas mais leves – incluindo a que existe em Portugal, no Instituto Português da Qualidade.

Esta variação poderia levar a erros em experiências científicas que precisam de medidas exatas de materiais altamente controlados, caso das substâncias radioativas.

A comunidade científica decidiu passar a usar a fórmula do físico alemão Max Planck que permitirá de forma universal determinar quanto deve pesar um quilograma. A revista “Smithsonian” explica que a constante de Planck é um número que relaciona a frequência de uma onda de luz e a energia de um fotão nessa onda e será calculado com uma balança de Kibble.

A balança permite aos físicos pesar uma massa contra a quantidade de força eletromagnética necessária para a suster. O comité garante que além dos profissionais dos laboratórios nacionais de metrologia, poucas pessoas notarão a mudança.