Atualidade

Os negócios de Piqué, o craque que é milionário nas horas vagas

Tanto investe em hambúrgueres como em empresas de videojogos. Agora, o jogador do Barcelona quer aplicar a fortuna para levar um clube modesto à Liga dos Campeões.

Aos 32 anos, está a completar a 11.ª temporada como jogador do Barcelona e um dos símbolos da equipa. No campo do futebol, há poucas dúvidas que é um dos melhores e mais famosos futebolistas do mundo. Ao contrário de muitos dos seus colegas de profissão, a vida de Gerard Piqué não é feita apenas de chutos na bola. O craque é também um milionário e não chegou a esse estatuto apenas graças aos salários que recebe no clube.

A relação que mantém desde 2011 com a cantora colombiana Shakira potenciou a fama e a exposição, embora o futebolista se mantenha nas manchetes por culpa da sua forte voz política, muitas vezes associada à polémica questão da independência da Catalunha. Quando não assume o papel de ativista ou de central durinho, Piqué veste o fato e gravata e aproveita as horas vagas para fechar negócios.

O espanhol tem dado nas vistas pelos inúmeros investimentos que tem feito fora do futebol – e onde tem sido bem sucedido. Prova disso é o valor estimado do seu património, que estará acima dos 80 milhões de euros, revela o “El País”.

Enquanto futebolista do Barcelona, o catalão recebe anualmente cerca de 15,7 milhões de euros, valor estimado pela revista “Forbes” em 2017. Fora destas contas ficam os prémios, os contratos de publicidade, os carros que tem na garagem e alguns imóveis.

Só a partir daqui é que passam a ser contabilizados os inúmeros negócios do central. Piqué começou por investir nos videojogos quando em 2011, ano em que criou Kerad. Entretanto, em julho de 2018 e após serem contabilizados prejuízos acima dos 650 mil euros, viu-se obrigado a fechar a empresa e passar os funcionários para a Kosmos.

Aberta em sociedade com Hiroshi Mikitani, fundador e conselheiro da Rakuten, Nullah Sarker, Mike Evans y Edmund Chu, a Kosmos é a sua maior empresa e abarca neste momento negócios distintos. Entre eles estão a EFootball.pro, uma empresa de Esports, a gestão da Taça Davis ou a Kosmos Studio. Esta última é uma companhia de multimédia que já fez trabalhos como o documentário sobre a saída de Griezmann do Atlético Madrid ou a The Players Tribune – uma série de entrevistas a jogadores famosos feitas pelo próprio Piqué.

Os negócios de Piqué, o craque que é milionário nas horas vagas

“Agora estamos a realizar um novo projeto que verá a luz antes do verão. Será uma série de oito capítulos muito poderosa, mas não podemos dar mais detalhes”, explica ao “El País” Javier Alonso, diretor geral da Kosmos Tennis. O gestor explica ainda que parte do sucesso de Piqué se deve à sua grande rede de contactos e “facilidade para convencer as pessoas dos projetos que quer lançar”.

Além destes empreendimentos maiores, o jogador do Barcelona tem investimentos na Kypers, uma marca de óculos de sol, na 426 Miles, uma marca de bebidas isotónicas e em empresas ligadas ao setor alimentar como a Natrus, que produz hambúrgueres naturais.

De volta ao futebol, um dos mais recentes investimentos foi feito na compra do FC Andorra. O negócio foi celebrado em dezembro de 2018 e os resultados já começam a notar-se: desde que assumiu os comandos do clube, passaram a estar nas bancadas cerca de 400 adeptos, ao contrário dos pouco mais de 100 que assistiam às partidas.

Este é um negócio onde está envolvido também Cesc Fabregas e que até despertou a atenção de Ronaldo. “Temos falado de negócios, mas temos de nos encontrar para falar melhor sobre o assunto”, disse o antigo internacional brasileiro em entrevista ao “The New York Times”.

“Chego aqui com um projeto muito ambicioso e prova disso é o meu grande objetivo. Sei que se vão rir, mas o sonho é ouvir o hino da Liga dos Campeões em Andorra”, revelou na conferência de imprensa de apresentação realizada na sexta-feira, 12 de abril.

Mais recentemente, o catalão comprou também um edifício no centro de Barcelona por cerca de 15 milhões de euros. De acordo com o diário desportivo espanhol “AS”, o imóvel não está em condições de ser utilizado e, portanto, ainda não se sabe qual o destino final do novo investimento.

Embora possa parecer um pouco estranho que um futebolista tenha tantos negócios e tão diferentes, Gerard Piqué não é totalmente leigo no assunto. O catalão fez um mestrado em Harvard na área dos negócios, no qual aprendeu valiosas lições com Anita Elberse, especialista nos setores do entretenimento, média e desporto.