Atualidade

Há um zumbido estranho que só 2% da população ouve – e ninguém sabe porquê

Cientistas ainda não têm explicação para o fenómeno, agora registado em documentário.

É descrito como um zumbido insistente e nauseante. Apenas cerca de 2% da população mundial o ouve e, quem sofre com este fenómeno, sente que está à beira da loucura. Há quem diga que parece um motor em marcha lenta a vir de fora de casa ou um ruído de baixa frequência. Os cientistas ainda não conseguiram encontrar uma explicação.

A verdade é que ninguém consegue descrever este ruído com exatidão, embora todos concordem que é extremamente incomodativo e que em dias maus pode levar qualquer um à loucura. Foi registado pela primeira vez em 1970, em Bristol, Inglaterra, mas surgem relatos de acontecimentos semelhantes um pouco por todo o mundo. “As orelhas estão a zumbir muito forte. Se for um dia mau, parece que o cérebro está a ser espremido. É nauseante”, tenta explicar Steve Kohlhase, engenheiro industrial de Brookfield, Connecticut, no documentário “Doom Vibrations”.

A produção é um curto documentário independente lançado em maio, realizado por Garret Harkawik e selecionado pela revista norte-americana “The Atlantic”, que procura perceber o fenómeno. E foi fácil de perceber que Kohlhase está longe de ser um caso único.

Obcecado com o fenómeno, o engenheiro mostra no documentário a forma como foi recolhendo provas relativas a este tipo de poluição sonora e como já gastou cerca de 26.748€ em salários e equipamento para esta sua investigação privada. Através deste estudo, a única ligação que Kohlhase consegue fazer é que todos os casos relatados são de pessoas que viviam perto de gasodutos de alta pressão ou perto deles. Ainda assim, não há certezas absolutas.

Como seria de esperar, este problema tem gerado muitas teorias da conspiração e há quem atire em diferentes direções na tentativa de descobrir a possível causa do ruído. Linhas elétricas, sistemas de comunicação sem fios e radiação eletromagnética de baixa frequência são algumas das hipóteses.

Ao longo de vários anos, quem ouve este barulho foi tratado por médicos como se de um simples zumbido se tratasse, um problema auditivo que afeta 15% da população. No entanto, os estudos mais recentes descartaram a teoria de tudo ser uma alucinação ou uma deficiência auditiva.

“As pessoas dizem que ouvem alguma coisa que a maioria não consegue ouvir. Mas quando olhamos para o vasto número de pessoas que dizem que ouvem isso, é óbvio que alguma coisa está a acontecer”, afirma David Baguley, audiologista no Addenbrooke’s Hospital, em Cambridge.

Cientistas atribuem parte das causas à poluição ambiental e sonora provocava por fábricas ou complexos industriais. No entanto, a maior parte dos casos continua sem ter uma explicação plausível por parte dos investigadores. Veja o documentário completo.